segunda-feira, 29 de setembro de 2014

A rapariga que roubava livros de Markus Zusak




Edição/reimpressão: 2008
Páginas: 463
Editor: Editorial Presença
ISBN: 9789722339070
Coleção: Grandes Narrativas


Sinopse: Plano Nacional de LeituraLivro recomendado para o 9º ano de escolaridade, destinado a leitura orientada - Grau de Dificuldade II.

Quando a morte nos conta uma história temos todo o interesse em escutá-la. Assumindo o papel de narrador em A Rapariga Que Roubava Livros, vamos ao seu encontro na Alemanha, por ocasião da segunda guerra mundial, onde ela tem uma função muito activa na recolha de almas vítimas do conflito. E é por esta altura que se cruza pela segunda vez com Liesel, uma menina de nove anos de idade, entregue para adopção, que já tinha passado pelos olhos da morte no funeral do seu pequeno irmão. Foi aí que Liesel roubou o seu primeiro livro, o primeiro de muitos pelos quais se apaixonará e que a ajudarão a superar as dificuldades da vida, dando um sentido à sua existência. Quando o roubou, ainda não sabia ler, será com a ajuda do seu pai, um perfeito intérprete de acordeão que passará a saber percorrer o caminho das letras, exorcizando fantasmas do passado. Ao longo dos anos, Liesel continuará a dedicar-se à prática de roubar livros e a encontrar-se com a morte, que irá sempre utilizar um registo pouco sentimental embora humano e poético, atraindo a atenção de quem a lê para cada frase, cada sentido, cada palavra. Um livro soberbo que prima pela originalidade e que nos devolve um outro olhar sobre os dias da guerra no coração da Alemanha e acima de tudo pelo amor à literatura.


Críticas de imprensa:

"Zusak não só cria uma história original e enfeitiçante, como escreve com poesia… Uma narrativa extraordinária."
School Library Journal

"Uma narrativa absorvente e marcante."
Washington Post

"Uma história poderosa."
Booklist

"Brilhante… É um daqueles livros que podem mudar a nossa vida…"
New York Times

"Perturbador e poético ao mesmo tempo…Parece bem colocado para se tornar um clássico."
USA Today

"Elegante, filosófico e comovente… Belo e importante."
Kirkus Reviews

"Um feito… um livro que é um desafio…"
Publisher’s Weekly

"Inquietante, desafiante, triunfante e trágico… Um livro de grande fôlego, escrito de forma soberba… É impossível parar de o ler."
Guardian

"Um livro extraordinário, marcante, de grande beleza."
Sunday Telegraph

"Aos trinta anos, Zusak escreveu um dos livros australianos mais invulgares e cativantes de sempre."
The Age (Austrália)




Um pequeno excerto:

Sopro ar quente para as mãos, para as aquecer.
Mas é difícil mantê-las quentes quando as almas continuam a tremer de frio.
Deus.
Digo sempre esse nome quando penso naquilo.
Deus.
Pronuncio-o duas vezes.
Digo sempre o Seu nome numa tentativa vã de compreender. «Mas o teu trabalho não é compreender.» Sou eu mesma que respondo. Deus nunca diz nada. Pensam que são os únicos a qual ele nunca responde? «O teu trabalho é...» E deixou de me ouvir, porque, para falar francamente, eu canso-me a mim própria. Quando começo a pensar assim fico tão exausta, e não me posso dar ao luxo de ceder à fadiga. Sou obrigada a continuar porque, embora isso não seja verdade para toda a gente na terra, é verdade para a grande maioria - a morte não espera por ninguém - e se o faz, em geral não espera muito tempo.

Breve opinião:

É-me um bocado difícil expressar o quanto adorei este livro, simplesmente não tenho palavras! Este livro fascinou-me completamente. Não só pela maneira como a Morte expõe as suas lembranças aos leitores, mas também pelo encanto de Liesel. Adorei, sobretudo, a amizade que Liesel tem com Rudy.
Pela amizade deles, sabe-se que podemos ter as maiores pancas que teremos sempre alguém que não se afaste de nós e que nos aceita como pessoas.
Como deu para perceber, acabamos por simpatizar com Liesel, Rudy e o judeu Max. É uma história  em que sofremos com cada personagem presente. A sua história é contada de uma maneira agradável, mas que por vezes trás um pouco de sofrimento.
Quanto ao tipo de escrita, é fluida e sem momento mortos. É uma história vibrante que nos prende junto às suas maravilhosas páginas.




Trailer do filme:







-F

6 comentários:

  1. Ola miga,

    Só posso concordar com a tua opinião, um livro excelente e que vale bem a pena ser livro, gostei do teu comentário ;)

    Bjs e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi :)
      Foi um dos melhores livros que já li até hoje :D
      Beijos e obrigada!
      -F

      Eliminar
  2. Olá :)

    Sei que ando um pouco desaparecida e peço desculpa :), mas não tem mesmo dado para mais! Também tenho este livro em casa já para ler, e estou ansiosa por lê-lo. No entanto, a ler uma opinião li um spoiler e desde então que ando a adiar a leitura a ver se me esqueço :(. Apesar disso, gostei muito da opinião! Vamos lá ver se o leio em breve :).

    Boas viagens,
    Rosana

    ResponderEliminar
  3. Olá :)
    Por menos apareceste ;)
    Só te digo que quando começares não o vais largar :D
    Beijos,
    -F

    ResponderEliminar
  4. Olá!
    Sem dúvida um dos livros da minha vida. Adorei!! Este livro mexeu comigo, arrepiou-me e levou-me as lágrimas. Aquele final deixou-me sem ar.
    Acho que toda a gente queria ter um amigo como o Rudy.
    O forte deste livro são mesmo as personagens e claro a narradora.

    O filme deixou tanto, tanto por mostrar, mas apesar disso gostei muito também.

    Nunca deixem nada por dizer... ;)

    Beijinho

    ResponderEliminar
  5. Olá Cátia :)
    Concordo com tudo o que disse :)
    Ainda não vi o filme, portanto ainda não posso tecer nenhum comentário :)
    Beijos,
    -F

    ResponderEliminar